segunda-feira, 21 de julho de 2014

2ª TRILHA PARQUE DA PEDRA FURADA 20/07/14

Ponto de Encontro: Prefeitura
Concentração: 05h30min
Saída: 06h (pontualmente)
Equipe: Geovane - Arielson - Bodocó - Armando - Amaro - Baiano - Ezequiel - Regiclécio - André - Jurandir - Elaine - Monga - Demir - Gago - Ricardo - Felipe - George - Juracy - Rincon e Mário
Total de 20 Ciclistas
Percurso Total: 130 kim
Equipe 02: Ivan - Diel - Roberto - Eduardo e Luciano - Total de 05 Ciclistas
Equipe 03: Cezar


Obs. Esta última última equipe de ciclistas optou por fazer trilhas diferenciadas, alguns voltando de Sanharó, outros de Pesqueira e outros prosseguiram para mais adiante. Uma terceira equipe foi formada apenas pelo ciclista Cezar que inicialmente iria conosco para Pedra Furada mas que acabou indo parar em outro lugar.

A segunda edição da trilha do Parque da Pedra Furada foi um grande sucesso que apesar das dificuldades faz renovar em cada participante a vontade de no próximo ano voltar a este lugar maravilhoso, onde a natureza nos mostra o quanto somos pequenos diante da Obra Divina. Nesta postagem vocês poderão conferir de maneira compacta um pouco do que passamos nesta bela trilha e se maravilhar com um pouco do que vai ser mostrado deste lindo lugar. Lembrando que lá no nosso grupo no face estará disponível logo mais um álbum com todas as fotos desta trilha. Só registrando que a quilometragem este ano foi menor porque houve alteração do trajeto.

CONCENTRAÇÃO & SAÍDA
o ponto de encontro assim como a concentração e a saída se deram no lugar de costume, ou seja, na frente do edifício da prefeitura e desta vez como prometido a saída se deu pontualmente no horário pré estabelecido. 
 

FATOS E FOTOS DA IDA
Seguindo inicialmente pela Av. Dep. José Mendonça Bezerra logo passamos a pedalar pela Rua  Monsenhor Francisco de Assis Neves (Calçadão) e depois seguirmos pela Praça da Conceição e pelas ruas Cleto Campelo e São João até chegarmos as avenidas santo Antônio e Oscar Pereira e de lá seguirmos pela rodovia BR 232. Inicialmente deveríamos ter seguido pela popular Rua da Palha na direção da Vila de Cavalo Morto e de lá para o Sítio Divisão, já pertencente ao município de sanharó, mas devido ao fato de o sábado ter sido todinho de chuva uma boa parte dos ciclistas optaram por alterar o trajeto trocando a zona rural pela rodovia BR 232. A mudança de trajeto aconteceu primeiramente por sugestão do ciclista Bodocó que alegou que tinha pedalado no dia anterior e que constatou que as estradas estavam em péssimas condições de pedal, fato que não foi bem aceito por todos, incluindo eu (Geovane). Uma vez que deixamos registrado nas redes sociais o roteiro a ser seguido, este deveria prevalecer independente do estado em que se encontrasse as estradas porque aqueles que por algum motivo não puderam chegar a té a hora da saída com certeza iriam seguir pelo trajeto que foi pré determinado, contudo o que prevalece sempre no nosso grupo é a vontade da maioria e sendo assim seguimos pela BR 232. Só deixando registrado que saímos sob uma temperatura muito baixa, apesar de não estar nem ao menos garoando, mas uma forte neblina tomava conta da paisagem ao nosso redor. Logo de início já tivemos um sinal de que esta seria uma aventura repleta de surpresas e assim foi até o encerramento.
  

  

SANHARÓ - PE
Ao chegarmos ao município de sanharó ficamos por alguns minutos a espera dos ciclistas retardatários e quando o último deles chegou, no caso o ciclista Amaro o interrogamos a respeito do ciclista Cezar que apesar de ter participado apenas de uma trilha conosco nos afirmara na semana passada que era um ciclista experiente com muita quilometragem rodada e que tinha plenas condições de participar desta trilha, mas que no entanto ainda se encontrava bem distante de onde nos encontrávamos. Neste momento fizemos uma rápida reunião e em comum acordo optamos por prosseguir a trilha sem ter de esperar o mesmo, já que ele tinha recebido todas as orientações e as devidas informações a respeito deste pedal, mesmo sabendo intimamente que não estava neste momento a altura do que iria enfrentar. Esperamos por alguns instantes pelo mesmo e como ele não apareceu deixamos uma recado com um comerciante local e demos prosseguimento a trilha, desta feita rumo a Pesqueira.

  

 

 PESQUEIRA - PE
Inicialmente o café da manhã seria tomado no município de Pesqueira, mas precisamente no Restaurante O Bodão mas como a maoiria dos participantes informaram não estar com vontade de tomar café seguimos rumo ao município de Alagoinha onde ai sim iríamos parar para o café da manhã. Fato que não ocorreu por falta de comunicação entre os participantes.

 

 

 

ALAGOINHA - PE
De Belo Jardim até Pesqueira estávamos pedalando pela rodovia federal  BR 232 depois passamo a pedalar pela rodovia estadual PE 2017 que era motivo de grande preocupação por parte de todos já que encontrava-se em péssimas condições e já havia ocorrido vários acidentes graves nos últimos dias na mesma porém, ao iniciarmos o pedal pela mesma constatamos que ela encontra-se passando por uma reestruturação geral até Alagoinha e que segundo informações esta obra deverá se estender até o município de Venturosa - PE. Os planos de parar para tomar café nesta cidade foram deixados de lado, já que a maioria não gostou do que encontrou a sua disposição no comércio local e optou por seguir adiante até o nosso destino que era a Pedra Furada, mas esqueceram que alguns ciclistas saíram de suas casas sem comer nada o que foi um fato lamentável que não deve voltar a acontecer.

 

 

RUMO AO PARQUE DA PEDRA FURADA
deixando Alagoinha seguimos na direção do município de Venturosa, sempre pela rodovia PE 217, ao contrário do trecho até Alagoinha a partir deste ponto a rodovia encontra-se em péssimo estado de conservação, com muitos buracos, sem nenhuma sinalização e para dificultar um pouco mais as coisas o tempo clareou de vez e a temperatura começara a subir, mas nada que desanimasse ninguém. A paisagem no entorno deste trecho é muito bonita, composta em grande parte por belas formações rochosas que chamam a atenção de quem por aqui passar. É quase impossível não parar para tirar ao menso uma foto.

 

 

 

PARQUE PEDRA FURADA
Deixando a rodovia PE 217 os visitantes devem seguir por uma estrada de terra situada a margem esquerda da rodovia no sentido Venturosa, os visitantes devem ficar atentos a uma singela placa indicativa que aponta a direção a ser seguida, Quem desejar pode tomar como ponto de referência uma rocha existente na margem direita da rodovia, no sentido Venturosa e que está localizada bem a frente da estrada de terra, por sua formação demos o pelido carinhoso de Pedra do Rego ou Pedra da Regada por se parecer com uma bunda. Ao chegar ao parque os turistas e demais visitantes poderão contar com uma infraestrutura que apesar de pequena atende bem as necessidades dos que por lá passarem já que conta com área para estacionamento, segurança e sanitários e não se paga nada para visitar o parque. Bem em frente ao portão de entrada do parque existe um pequeno bar que agora funciona também como restaurante e que oferece aos visitantes uma boa comida regional a preços camaradas e com direito até a música ao vivo e também a bingos vez por outra. 

 

A PEDRA FURADA
A Pedra Furada é, na realidade, uma única rocha - um granito - de textura grossa onde percebe-se claramente os minerais componentes (quartzo, micas, feldspato, etc) e suas formas. O local oferece também uma bela visão do entorno, através do mirante existente onde se encontra um cruzeiro, no topo da rocha. De lá avista-se plantações, áreas de criação, açudes, vegetação nativa, habitações rurais, entre outras coisas.
A Pedra Furada é um dos sete pólos de ecoturismo de Pernambuco apresentado pela Embratur. Em 1985, a Prefeitura de Venturosa construiu o Parque Municipal Pedra Furada que dispõe de uma infra-estrutura básica. Seu acesso é feito por uma trilha com escadaria contendo 360 degraus. Constituído por um enorme bloco de formação granítica, com aproximadamente 50 metros de altura, a pré-histórica pedra contém diversas inscrições rupestres e é utilizada para prática de esportes radicais.
A subida na pedra é excelente para a prática do rapel, sendo que parte é apoiada e na grande abertura da rocha, um rapel livre (negativo).
Na trilha é necessário levar bastante líquido devido a elevada temperatura local em quase toda época do ano e protetor solar.

Fotos na Parte Inferior e ao Redor da Pedra Furada
depois de vencer os primeiros 325 degraus finalmente chegamos aos pés desta imponente ronha que vista por baixo nos dá a clara certeza de que um dia num passado muito distante estas terras já foram cobertas pelo mar. Não é só a pedra que chama a atenção de quem chega até aqui mas tudo ao seu redor, dos animais a vegetação e o vento fresco que refresca a todos e compensa a dificuldade da subida. É algo divino que todos deveriam visitar ao menos uma vez na vida.
 

 

 

 

 

 

 

 

   

Vencendo os Obstáculos e Subindo ao Topo da Pedra
Na trilha do ano passado fomos vencidos pelo medo e nenhum dos integrantes da trilha teve coragem de encarar a subida até o cume desta belíssima pedra, mas neste ano a coisa foi diferente, viemos dispostos a superar  os nossos medos e a desfrutar de toda a beleza que pode ser vista lá de cima desta pedra e assim ofizemos e com a Graça de deus tudo correu sem nenhum incidente registrado.

 

 

 

 

 

 

 

Iniciando a Descida
Quando estávamos nos preparando para iniciar a descida, tivemos a grata satisfação de conhecer o Edson, ele que é de meu conterrâneo, uma vez que assim como eu é natural de Recife. O mesmo se mostrou uma pessoa bem descontraída e que assim como nós adora apreciar a natureza e creio que foi por isso que todos nós nos damos tão bem, fica aqui em nome de todos os ciclistas que participaram desta trilha um abraço carinhoso para o mesmo e para os seus amigos e familiares e a vontade de voltarmos a nos encontrar assim que possível.

 

 

 

 

 

NEM TUDO SÃO FLORES
Antes de iniciar a narrativa sobre a nossa volta para casa é mais do que necessário se fazer o registro de uma coisa horrível que encontramos aqui no parque e é cada vez mais comum encontrarmos em vários outros lugares que são as marcas do vandalismo feito por pessoas irresponsáveis, incompetentes e que deveriam no mínimos serem condenadas a prestar serviços comunitários a sociedade ou como eu gostaria que fosse, condenados a um bom tempo de prisão. estas pessoas vem a este velo lugar não para apreciar a natureza mas para agredir a mesma, já que insistem em deixar os seus nomes e frases medíocres espalhas pelas rochas e por algumas árvores. Espero que assim que possível as autoridades locais procurem dar um suporte maior a este belo lugar disponibilizando pessoas preparas para fiscalizar e levar até ao conhecimento das devidas autoridades pessoas que insistirem em praticar atos de vandalismo dentro da área do parque. Nas fotos abaixo estão registrados apenas alguns exemplos do que estou relatando e que não deve voltar a acontecer.

 

SE PREPARANDO PARA A VOLTA
Após termos desfrutado de toda a beleza do parque nos reunimos novamente próximos ao bar e restaurante que ali existe e traçamos os planos para a segunda parte da nossa aventura, ou seja, a volta para casa. Ao descermos da Padra Furada nos deparamos com mais um ciclista que se juntara a equipe de última hora, era o ciclista e amigo Felipe que nos trouxe notícias do ciclista novato, informando que o mesmo continuava a se deslocar rumo ao nosso encontro mesmo indo contra todas as recomendações e pedidos para que voltasse. Isso nos deixou um pouco preocupados mas ao mesmo tempo estávamos com a consciência tranquila em relação ao mesmo. Abastecemos os nossos reservatórios de água, posamos para a foto oficial e cuidamos logo de iniciar o pedal rumo a Alagoinha onde iríamos almoçar. Assim como na vinda, na volta também aconteceram alguns imprevistos como pneus furados e bikes com problemas, mas isso faz parte.

 

 

 

 

 

 

 

HORA DO RANGO
Ao chegarmos novamente em Alagoinha estávamos literalmente "varados" de fome, principalmente os ciclistas que não tomaram cafe da manhã em casa antes do pedal. Infelizmente a temperatura estava subindo e por isso não podíamos nos dar ao luxo de demorar muito almoçando, sendo assim comemos rapidamente e logo em seguida retomamos a trilha, com muita preguiça é claro. O local escolhido foi o Restaurante e Pizzaria Água na Boca que apesar de ter uma infraestrutura simples é um estabelecimento agradável com uma boia comida e preço razoável, quanto ao atendimento deixou um pouco a desejar, mesmo assim nós o recomendamos.

 

 

RETA FINAL
Após o almoço nos dirigimos até o posto de gasolina e lá reabastecemos os nossos reservatórios de água, o plano era prosseguir o mais rápido possível para chegarmos a Belo Jardim ainda com o dia claro e isto seria perfeitamente possível se não fosse o grande número de imprevistos como pneus furados e bikes com defeito. Mesmo assim ninguém reclamou, apenas atrasamos a volta o que é normal pois, nem tudo sai sempre como planejado.

 

 

 

ÚLTIMA PARADA
Devido as várias paradas devido aos problemas que surgiram optamos por fazer uma última parada na cidade de sanharó para um rápido lanche, a esta altura o desgaste físico já se fazia presente e nada melhor do que um lanche a base de açaí para revigorar as energias. Apesar de termos voltado literalmente pelo mesmo trajeto da ida não os deparamos com o ciclista trapalhão o que nos deixou angustiados mas como notícia ruim se espalha logo e não soubemos de nenhuma acalmamos os nossos corações, oramos pelo mesmo e prosseguimos rumo a última etapa. Agora a noite já caíra e os cuidados tiveram de ser redobrados porque saímos de sanharó justamente no horário de pique onde o tráfego de veículos aumenta bastante nas estradas e rodovias.

 


 

 

ENCERRAMENTO
Como a equipe de ciclistas já estava bastante dispersa optamos por encerrar a trilha ainda quando estávamos no Alto Limpo, deste ponto em diante cada um seguiu o seu rumo ficando apenas um pequeno grupo. Apesar de todos os contratempo foi uma trilha maravilhosa e que vai deixar saudades com certeza. Quero aqui deixar os meus agradecimentos a todos os ciclistas que atenderam ao convite e dizer a cada um que mais uma vez foi um grande prazer pedalar ao lado de cada um de vocês. Por fim quero aqui deixar um parabéns especial mais do que merecido a minha cunhada, a ciclista Elaine que mais uma vez foi o grande destaque desta trilha representando muito bem a equipe feminina.


CONVITES
Queremos convidar você que não é membro dos Amigos do Pedal mas que gosta de pedalar a se juntar aos nossos ciclistas nas nossas próximas aventuras que terão início na próxima quarta-feira a noite. Para participar de qualquer atividade do nosso grupo não é necessário se pagar nada, pedimos apenas que respeitem as regras do grupo e se for de vossa vontade se tornar um membro que procure adquirir o quanto antes possível os seus equipamentos e acessórios de segurança. Sejam todos bem vindos. Lá no nosso grupo no Face estará disponível a partir de amanhã um álbum com todas as fotos desta trilha.

QUARTA-FEIRA 23/07/14 TEM

SEXTA-FEIRA 25/07/14 TEM

PRÓXIMO DOMINGO TEM

ACOMPANHE NOSSAS AVENTURAS TAMBÉM PELO FACEBOOK
Por: Geovane Bezerra